Currently set to Index
Currently set to Follow
Connect with us

Finanças

Aumento de Juros Bancário: Taxas chegam a 34,1%

Banco Central informa aumento do juros nos Bancos, taxas podem chegar a 350% ao ano.

Published

on

Publicidade

O Banco Central informou na terça-feira 28 que, à medida que o Comitê de Política Monetária (Copom) acelerava o ciclo de alta da Selic, os juros totais médios cobrados pelos bancos no cartão de crédito rotativo aumentaram 2,6 pontos percentuais de outubro para novembro.

A taxa passou de 343,5% ao ano para 346,1%. Juntamente com o cheque especial, o cartão rotativo é um método de crédito emergencial e muito utilizado em tempos difíceis.

No caso do parcelamento, mesmo no cartão de crédito, os juros passaram de 172,6% ao ano para 167,5%. Levando em consideração o total de juros do cartão de crédito, considerando as operações rotativas e parceladas, a taxa de juros passou de 67,9% para 67,5%. Em abril de 2017, o banco foi obrigado a transferir a dívida do cartão de crédito rotativo para o parcelamento com taxa de juros menor após um mês.

A intenção do governo com esta nova regra era permitir que a taxa de juros para o rotativo do cartão de crédito recuasse, já que o risco de inadimplência, em tese, cai com a migração para o parcelado.

Já para o cheque especial, a taxa de juros cobrada foi de 129,6%, vinda de 128,2% em outubro.

PUBLICIDADE


Taxas informadas

A taxa média de juros bancários com recursos livres não inclui os juros regulamentados, cobrados no crédito habitacional, rural e com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Neste ano, a Selic passou de 2% em janeiro para 9,25% ao ano em dezembro, o maior patamar em mais de quatro anos. O principal objetivo é tentar conter a inflação, que acumula alta de 9,26% no acumulado do ano até novembro e de 10,74% nos últimos 12 meses, segundo dados do IBGE.

Também de acordo com o Banco Central, a taxa média de juros com recursos livres para as famílias atingiu 45,2% ao ano, alta de 1,4 p.p em relação à taxa registrada em outubro.

Já a taxa cobrada nos empréstimos com recursos livres para as empresas foi menor, de 20,3% ao ano, ainda assim uma alta de 1,4 p.p em relação à taxa registrada no mês imediatamente anterior.

Leia também:

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *