Connect with us

Finanças

Auxílio Emergencial: Beneficiários tiveram auxílio cortado. Saiba mais!

Published

on

PUBLICIDADE

Com a volta do auxílio, este ano, há mais de 29 milhões de brasileiros sem ajuda do Auxílio Emergencial. Esse número é 70% maior que o previsto pelo Governo Federal, que era de 17 milhões. Dessa forma, apenas 39 milhões de pessoas serão beneficiadas.
Essa limitação no corte do auxílio deve-se a novas restrições impostas pelo Governo Federal.

PUBLICIDADE


No início de 2020, não havia limite para a renda total das famílias e a renda per capita máxima era de um salário mínimo e meio. Neste ano, porém, a renda familiar total não deve ultrapassar três salários mínimos e a renda per capita está limitada a meio salário mínimo. Dentre essas mudanças, os valores dos benefícios também foram alterados e as parcelas agora variam de $ 150 a $ 375.

Por que o Auxílio Emergencial é importante pra tantos brasileiros?

A crise econômica causada pela pandemia do coronavírus atingiu duramente os brasileiros. De acordo com cálculos do IPEA com base na Pesquisa Nacional de Domicílios do IBGE, 14,5% já estão desempregados.

Um estudo da Fintech Neon mostrou que 77% dos clientes da empresa que receberam Auxílio Emergencial no ano passado usaram os cartões Neon em supermercados. “Os números revelam que o cliente que traz assistência governamental tende a gastar mais com as necessidades básicas, o que reforça a importância da ajuda como principal receita de milhões de brasileiros”, explica Tadeu Rocha, gerente comercial da Neon.

Além disso, outro problema é que a maioria dos brasileiros que receberá Auxílo Emergencial este ano receberá no mínimo R$ 150. Cerca de 20 milhões de pessoas que moram sozinhas receberão apenas R $ 150 em Atendimento de Emergência. “43% das pessoas vão receber R$ 150 e há evidências de que esse valor não compensa os prejuízos causados ​​pela pandemia. Isso é possível detectar em vários bairros, dependendo do gênero, estado ou raça ”, diz o pesquisador Lauro Gonzalez.

Acesse também:

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *